Home
Institucional
Diretoria
Estatuto
Prestando Contas
Contato
Atualização Cadastral
Cadastro de Empresas
Contribuição Sindical
Anuidade / Contrib. Associativa
Tabela de Honorários
Bolsa de Empregos
Convênios
Notícias
Cursos e Palestras
Agenda de Eventos
Fotos
Vídeos
Agradecimentos
Instituições de Ensino
Sites Úteis
Boletim da Profissão
Boletim Jurídico
Boletim Notícias
Boletim Saúde
Convenções Coletivas
Cursos Realizados
Legislação
Perguntas sobre Contr.Sindical
Prefeituras RMC e Litoral
Retrospectivas
Home > Notícias > Leitura
Publicações

Veja abaixo os três principais motivos para aderir à greve geral:

Reforma trabalhista: Com o argumento de “modernizar” as leis trabalhistas, a Reforma Trabalhista está no bojo das medidas de desmonte dos direitos e garantias conquistadas pelos trabalhadores. A partir da proposta enviada pelo governo Temer à Câmara, o relator do projeto, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), acaba com cerca de 20 itens da CLT e muda mais de 90. O centro da mudança é permitir o “negociado sobre o legislado”, que nada mais é do que permitir que o acordado entre empresas e sindicatos tenha poder de lei, portanto, esteja acima da CLT. A medida valeria para 16 pontos, entre eles banco de horas, jornada, e participação nos lucros. Tal mudança também coloca em risco o direito ao Salário Mínimo Profissional, uma das principais conquistas da categoria dos engenheiros. Após uma manobra antidemocrática do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a Reforma tramita em regime de urgência na Casa.

Reforma da previdência: Conseguir se aposentar passará a ser um privilégio caso a reforma da Previdência proposta pelo Governo Federal seja aprovada no Congresso. O pequeno recuo feito por Temer não tira a gravidade da proposta. A idade mínima para se aposentar pode passar a ser de 62 anos para mulheres (com aumento progressivo a cada ano) e de 65 anos para homens. Ambos terão de contribuir para o INSS ou para os regimes estatais por pelo menos 25 anos.

Terceirização: A Câmara dos Deputados e o presidente Michel Temer (PMDB) aprovaram, em março, a terceirização geral e irrestrita e contratações temporárias para o setor privado e público. A nova lei já nasce velha: ela foi aprovada com base em um projeto proposto há 19 anos pelo Governo do então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), que já estava aprovado no Senado. Na prática, a medida abre caminho para que uma empresa de engenharia terceirize todos os engenheiros, ou que uma escola terceirize todos os professores. Como consequência, haverá maior precarização das relações de trabalho e achatamento dos salários.  

132 visitas

 

novo R. Com.Macedo, 39-8º and. Cj. 82 Curitiba/PR CEP: 80060-030 - sindivetpr@sindivetpr.org - Fone: (41) 3322-0151 / 3029-0159 / 99882-0214

 

Desenvolvimento: www.proluv.com.br